28 mar 2018

A história da arte – Origem, definição e principais movimentos

Arte & Criatividade Sem comentários


Quando encontramos um belo quadro ou uma peça de música muito bem executada, logo pensamos “isso é uma verdadeira obra de arte”. Mas você já parou para pensar na história da arte? Quando foi que a primeira pessoa teve o primeiro impulso de criar algo bonito com significado e os caminhos que se seguiram desse momento até a arte que conhecemos hoje?

Arte na Pré-história

A história da arte é uma viagem tão distante quanto interessante. Os primeiros registros de expressões artísticas foram encontrados em sítios arqueológicos por todos os continentes, as mais antigas datadas do período Paleolítico Superior (40.000 a.C.). São as pinturas rupestres, utilizadas por homens pré-históricos para retratar sonhos e cenas do cotidiano da época.

A Idade Antiga

A arte se desenvolveu de maneira impressionante nas grandes civilizações durante a Idade Antiga. Nesta época, se destacavam principalmente:
– Arte Egípcia: representação pictórica da figura humana, com predominância de figuras de perfil e temas místicos e de origem religiosa. Também se destacavam a criação de símbolos relacionados à escrita avançada, os hieróglifos.
– Arte Grega: destacava-se pela busca pela perfeição plástica e pelo antropocentrismo, ou seja, o homem era o centro do universo. Suas pinturas, esculturas e edificações tinham como objetivo valorizar o ser humano.
– Arte Romana: baseada na cultura greco-helenística, foi grande responsável pela preservação da arte grega e destacou-se principalmente na área da arquitetura, com a construção de grandes monumentos, como templos e teatros.

A história da arte na Idade Média

Com a queda do Império Romano, a cultura greco-romana praticamente desapareceu, abrindo espaço para a ascensão da Igreja Católica, que influenciou bastante na arte medieval. Dois estilos principais predominaram na época:
– Arte Romântica: criada nas oficinas, deixou grande marcas na arquitetura da época, com a criação de construções grandes e sólidas, mas também cheias de leveza e repouso.
– Arte Gótica: acredita-se que foi criada pelos bárbaros quando invadiram o Império. Se destacava pela presença de pontas agulhadas, voltadas para cima, para Deus, e pelo uso de vitrais e arcobotantes. Além da arquitetura, a arte gótica também esteve muito presente em pinturas e esculturas.

Idade Moderna

Diversos acontecimentos impactaram a história da arte na Idade Moderna, como a reforma religiosa, o Renascimento, o Iluminismo e a Revolução Francesa influenciaram a arte do período moderno. Três correntes se destacam:
– Renascimento: trouxe de volta a cultura greco-romana, buscando a realidade e a valorização do homem.
– Barroco: valoriza a emoção e o sentimento humano, além da realidade das populações mais simples. Foi muito influenciado pela Reforma Protestante e pela Contrarreforma.
– Rococó: uma fase do barroco que buscava o domínio da técnica e da execução perfeita. Teve grande proeminência na arquitetura e decoração de interiores, com ornamentações detalhadas.

Idade Contemporânea

Grandes acontecimentos, como a Revolução Francesa, I e II Guerra Mundial e a Guerra Fria deixaram sua marca nas produções artísticas do período. Entre os movimentos, destacam-se:
– Neoclassicismo: resgatou os princípios da arte greco-romana e era considerada bela.
– Romantismo: fazia oposição ao neoclassicismo e valorizava o estilo do artista na obra, integrando elementos como sentimentos, imaginação e natureza através de paisagens.
– Realismo: deixava de lado a imaginação para focar na objetividade. Começa a surgir a “pintura social” que mostrava as dificuldades da vida dos trabalhadores da época.
– Impressionismo: se caracterizava pelo uso de figuras sem contorno, com sombras luminosas e coloridos e o uso de cores complementares para causar o efeito de contraste.

A arte no século XX

No século XX, a arte se espalhou em mais estilos do que nunca. Houve todo o tipo de movimento, dos que resgataram antigos padrões aos que procuravam subverter toda a noção do conceito de “arte”, passando por criações totalmente novas. Entre as principais, podemos destacar:
– Expressionismo: em oposição ao Impressionismo, se apoiava no uso de linhas e cores para retratar sentimentos, normalmente de melancolia, e fugir das regras tradicionais da arte.
– Cubismo: usava figuras geométricas para representar a natureza, abandonando a perspectiva e decompondo o senso de realidade.
– Dadaísmo: criada em protesto à I Guerra Mundial. Os elementos fugiam do racional, sendo combinados ao acaso como forma de protesto. Deu origem ao Surrealismo, que trazia representações do subconsciente, como sonhos e alucinações.
– Pop Art: retratava o dia a dia das grandes cidades, inserindo a arte no cotidiano da vida comum. O tema era o sucesso de símbolos da cultura de massa e da era industrializada.

Mas o que é arte?

Existem diversas definições do significado de arte. Podemos dizer que é a expressão de sentimentos e emoções através de elementos artísticos que combinam os sentidos humanos e refletem a história e a cultura de uma época.
Normalmente, a arte está relacionada a excelência técnica, mas essa associação nem sempre se confirma. Uma obra pode ser produzida sem qualquer apuro ou cuidado se for a intenção do artista romper com os padrões. Pode-se dizer, então, que a arte depende também de interpretação e contexto para ser compreendida em sua totalidade.

Tipos de arte

Com o passar do tempo, várias diferentes formas de expressão foram surgindo e aumentando a lista dos tipos de arte. Hoje, ela é mais comumente dividida em 11 tipos principais:
1. Música
2. Dança
3. Pintura
4. Escultura
5. Teatro
6. Literatura
7. Cinema
8. Fotografia
9. História em Quadrinhos
10. Jogos multimídia
11. Arte digital

Comentários

Sem comentários para “A história da arte – Origem, definição e principais movimentos”

Deixe seu comentário